• Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© PontoArroz 2016

O "crochê da vovó" resiste na moda!

Crochê não é só coisa de vovó – as últimas temporadas foram bem criativas e maduras pra levar a tendência dos ateliês para as ruas.

 

PORTFOLIO

 

A EMPRESA

A PontoArroz foi criada e desenvolve-se
há 4 anos entre Tubarão, Imbituba e Garopaba.
 

Unindo pessoas para criar com as mãos, a voz e o coração.

Foco no uso de técnicas 100% artesanais – como o crochê e o tricô – pensadas para se encaixar em todos os cantos e estilos,

sempre tentando acompanhar paixões e tendências do

universo craft, fashion e geek.

Por que PontoArroz?
 

Ponto-arroz é um ponto de tricô, muito usado pela minha avó Maria.

Criado em agosto de 2013 – como blog – idealizado para compartilhar receitas e novidades em crochê, tricô e crafts em geral, o nome foi escolhido como uma forma de homenageá-la.
 

O Blog migrou pra dentro do site:
num cantinho reservado para clipping,
lançamentos e acompanhar tendências.

Isabel Machado Farias 

Artesã/Oficineira/Diagramadora  - SICAB SC.0616.0000814.00

 

O PROJETO

Aulas de crochê no Presídio Regional
Feminino, em Tubarão/SC
 

A ideia para esse projeto surgiu com base em outros que já se desenvolvem pelo Brasil – numa fase mais avançada, pois trata-se de estilistas/designers com carreiras bem desenvolvidas – que sentiram necessidade de ter mão de obra e viram oportunidade nos presídios.

​O impacto que o crochê causa é muito positivo: a maioria das pessoas que pega uma peça nas mãos acaba se abrindo e revelando memórias da infância, do período que passava na casa dos avós, em alguma tia muito amorosa, num misto de nostalgia com carinho. Por conta disso, acredito que, levando esse aprendizado às reeducandas – que têm poucas oportunidades e visibilidade na sociedade – a gente possa despertar um olhar mais humano sobre elas e, quem sabe, transformar a prática em ofício, já que é bem difícil encontrar emprego depois que saem de lá.

"Temos muito à contribuir para uma sociedade mais justa. Essas mulheres tiveram (e muitas ainda terão) oportunidades escassas na vida, não apresentam periculosidade e anseiam por projetos/oficinas inclusivas – transformando seus talentos, adquirindo novas habilidades  – assim fica mais fácil enxergar a materialização de um trabalho, além de aprender e propagar a importância do resgate das práticas artesanais."
Trabalhamos durante o ano de 2017 com as lãs que a Círculo – fabricante de fios com sede em Gaspar/SC – nos enviou, com aulas voluntárias que aconteciam às sextas-feiras, no período da tarde. É importante ressaltar que nosso acesso à Unidade só foi possível graças ao auxílio da Pastoral Carcerária, que já desenvolve trabalhos com reeducandas há anos. Também contamos com o apoio constante da direção do presídio, das agentes carcerárias, da assistência social, da juíza que nos autorizou a aplicar as aulas e do Conselho da Comunidade de Tubarão.
 
Enxergamos todo essa movimentação como uma “rede de mulheres”, onde cada uma usa seu poder/conhecimento pra levar um pouco de esperança àquelas que não tiveram tantas oportunidades.
Apoio:
Conselho da
Comunidade de Tubarão
 

CONTATO

pontoarroz@gmail.com \  (48) 99660-7947